2012/06/26

Caso de racismo contra menino etíope em pizzaria tem inquérito policial concluído


Confesso que não sabia do ocorrido, mas hoje li uma notícia que retoma o caso do menino etíope que teria sido vítima de racismo em uma pizzaria paulista no fim do ano passado.

Para nos situarmos, resumirei os fatos. O garoto etíope é filho adotivo de um casal espanhol que passava férias na casa de parentes no Brasil. No dia 30 de dezembro de 2011, após um passeio, a família foi almoçar na pizzaria Nonno Paolo, na Vila Paraíso, Zona Sul de São Paulo, e, após uma pequena ausência da mesa por parte dos pais, o garoto teria sido expulso do restaurante pelo funcionário, que também é pai do dono do estabelecimento, Francisco Carlos Ferreira, reconhecido posteriormente pela tia-avó do garoto.

Segundo a família, o funcionário teria pego o garoto pelo braço e o retirado da pizzaria, alegando que o funcionário o confundira com um morador de rua, o descriminando. A criança não fala português, o que colaborou com o possível engano do acusado. Francisco rebate a acusação afirmando que o garoto saiu da pizzaria pela própria vontade, ele apenas retirado o menino das proximidades do buffet, o que apresentava risco à criança.

Grupo faz panelaço contra o racismo em frente à pizzaria (2012/01/07).

A novidade de hoje é que o inquérito policial foi concluído, e o relatório do delegado que cuida do caso,  Márcio de Castro Nilsson, informa que  "Francisco Ferreira  deve responder pelo crime de racismo por ter colocado o garoto para fora e o impedido de voltar porque ele é negro". Ele foi indiciado por “constrangimento ilegal resultante de preconceito de raça ou cor” e, caso seja condenado, a pena pode ser de até 6 anos de prisão.

O caso gera divergência de opiniões. Principalmente depois do depoimento do acusado, que afirma com uma certa clareza que tudo não passa de um engano. Ele argumenta dizendo que tem uma filha negra e que 70% dos funcionários do restaurante são afro-descendentes. Bom, é complicado afirmar alguma coisa, mas, não seria nenhuma iniquidade dizer que o acusado está falando a verdade.

Confira o depoimento completo do acusado.

Programa Balanço Geral SP (Record) na época do caso:




E você, o que pensa sobre o caso? Acredita nas palavras de defesa do acusado ou incrimina Francisco pelo ato de racismo contra o garoto etíope? Deixe seu comentário com sua opinião!


Fontes: G1BandRede Record






Nenhum comentário:

Postar um comentário