2012/02/22

STF, relação de amor e ódio!



Impressionante como o amor e ódio andam juntos, são praticamente o mesmo. Se transformam num e n'outro com uma velocidade devastadora. Mas o que tem a ver o Supremo Tribunal Federal com isso? Explico. No dia 16 de janeiro de 2012 foi validada a lei da FICHA LIMPA e declarada constitucional pelos ministros do STF, quase 02 anos depois de entrar em vigor. No final das contas foram 07 votos a favor e 04 votos contra. O melhor, a lei vale para as candidaturas deste ano, JÁ!

Oba! Momento de esperança a todos os brasileiros, alguns ainda bradavam aos quatro ventos: Acabou a corrupção no Brasil! Até o mais pessimista já andava todo desconfiado que isso poderia ser verdade. Esse é o típico caso de amor ao STF, daqueles que brotam de um carinho, da atenção.
Gente, isso aqui é BRASIL, poxa!

Então surge o ódio, ao antes amado STF. O ódio é aquele sentimento que acaba com qualquer jura de amor, que chega sem pedir licença, chega para acabar com a felicidade de qualquer ser humano risonho e esperançoso. O STF (esse mesmo) ARQUIVOU o inquérito que apurava a suspeita de compra de votos e corrupção eleitoral contra o deputado federal Valdemar da Costa Neto. Ele era suspeito de ter promovido um grande churrasco, com farta distribuição de comida e bebida, para captar votos. E para refrescar a memória, este mesmo cidadão(?) é réu no caso do Mensalão.

Neste momento, o que gritava que a corrupção acabou, abaixa o tom de voz e torna-se mais um esperançoso brasileiro, o pessimista nega ter, algum dia, acreditado num futuro mais justo na política e nós baixamos a cabeça para se conformar de que tudo continua. Acabou, a verdade teima em aparecer, uma hora ou outra. Resta saber quando esse ódio se transformará em amor novamente. Um ciclo sem fim!


Texto de Jullie Garcia (acadêmica de Administração na UFSM)






Nenhum comentário:

Postar um comentário