2011/06/06

Sábado Ocioso




     Fazia tempo que eu não vivia esses momentos. O tempo demora pra passar, o relógio não anda, parece que vai dar tempo pra fazer mil e uma tarefas, mas acaba que você não faz nada, simplesmente nada.
     O simples ato de passar uma, duas, até três horas deitado, em baixo das cobertas, entre cochilos e risadas ouvindo rádio, te faz sentir uma grande culpa por não estar fazendo nada de concreto, culpa por saber que depois dessas três horas nada de pálpavel se obteve.
     Esse ócio todo é em virtude dos problemas técnicos em meu computador, que me obrigaram a mandá-lo para umas férias na assistência. Pois é, como muitos de vocês sabe, eu não consigo passar muito tempo longe de um computador. Mas não só pelo motivo que alguns pensam, que eu fico apenas "tuitando", ou mexendo em outras redes sociais, não é só isso, na grande parte do tempo fico me atualizando sobre o que acontece fora da minha sala; garimpando músicas, fotos, vídeos, que quase sempre viram conteúdo aqui para o blog.
    Mas isso eu faço na semana – junto ao meu trabalho no Projeto de Organização do Acervo de Vinis da Rádio Universidade – pois no fim de semana procuro fugir um pouco da Internet, qté porque não tenho acesso em casam o que me obriga a ficar offline aos sábados e domingos. Mas não é problema, é até solução, pois sobra tempo pra eu assistir meus filmes e jogar meus games, e mesmo fazendo isso continuo trabalhando, pois sempre assisto aos filmes com o olhar do JoelisonJoe, a fim de manter o Cen&xemplo atualizado.
    Mas, voltando ao "não fazer nada", como passei o sábado último sem computador, me obriguei a ligar a televisão, e me deparei com programas que não assistia há muito tempo. Após às três horas de cochilo barra rádio fui assistir à Novela das Sete, uma que tem um dinossauro brigando com uma robô na vinheta de entrada. Logo após acompanhei o Jornal Nacional em sua plenitude, o que também era raro pra mim. Em seguida o horário nobre, a tal Novela das Oito, ops, Nove, a qual tem a maior densidade demográfica de mulheres bonitas da TV Brasileira, "ô lá em casa".
    Bom, a partir daí me senti na obrigação de fazer algo interessante, então, me veio a ideia de escrever este, que terminei enquanto começava o Super-Cine, sim, porque assistir às novelas e o noticiário tudo bem, mas ao Zorra Total, já seria demais, eu tenho amor próprio. Bom, vou ali assistir o filme e ouvir o Sônica da Rádio Atlántida, já que não poderei passar a madrugada jogando meu Call Of Duty. Pensando bem, o computador faz falta.

    E que venha o Domingão do Faustão...





Nenhum comentário:

Postar um comentário