2011/02/07

Certeza Inevitável



Vira e mexe nos deparamos com a difícil tarefa de ir a um velório, conseqüentemente a um enterro, a minha presença lá é apenas em respeito à família do falecido, pois se eu pudesse optaria, desde já, por não ir ao meu próprio enterro. Vide o clima nem um pouco alegre, como não haveria de ser realmente.

Mas como muita gente pensa, a sua ausência em um velório não é desprezo ao ente que se foi, e sim a simples opção de não comparecer, pois cada um expressa sua dor ou saudades da sua maneira. Seja rezando, como os religiosos fazem; seja lembrando dos momentos vividos com a pessoa ou ainda tentando esquecer o fato e continuar sua vida normalmente.

Que o último dos bisavôs vá em paz, seu Algemiro, o centenário “Vô Miro”!



Nenhum comentário:

Postar um comentário