2011/01/24

Cansaço Extremo



Nós costumamos dizer a todo o momento que estamos cansados não é verdade? É uma saidinha ali ou acolá que já vêm as reclamações: “Ai, ai, ‘tô’ podre de cansado. Aff, caminhei horrores hoje, que canseira que eu ‘tô’!” Pois é, mas hoje eu posso dizer com propriedade que eu estou cansado ao extremo, mas tudo isso tem explicação.

Bom, vou começar por sábado. Acordei às miseráveis 8 horas da manhã, sendo que apaguei as luzes de sexta-feira já às 4 horas de sábado. Acordar cedo pra quê? Ah sim, o sábado estava dedicado a uma pequena ‘bicicletada’, pegando a estrada com destino a Silveira Martins, que para quem conhece, necessita de um certo esforço físico subir àqueles 450m de altitude com a tarefa de empurrar uma bicicleta.

Pois bem, não foram apenas os 34 km (ida e volta) de Silveira Martins, somam-se a eles alguns 6 km de estrada de chão que nos levaram, eu e meu primo, a um balneário em uma localidade próxima à cidade alta. Podemos ainda adicionar aquele calor infernal, que foi o motivo que nos levou às gélidas águas do pé da serra.

Ah, o domingo. Sono até meio-dia? Assistir meu time jogar uma partida do Gauchão sob vaias e aplausos? Descanso? Que nada, ser acordado às 7 da manhã com o irrecusável convite de ir pra ‘fora’ roçar um matagal do tamanho de uma quadra de futsal, passar quase o dia inteiro debaixo do sol, arrancar pedaços das mãos manuseando um facão mato à dentro, retalhar as pernas nos diferentes espinhos encontrados no caminho. Ufa, acho que é isso.

Bom, dessa vez acho que eu posso dizer: “Ai, ai, ‘tô’ podre de cansado!”

PS: Deixo aqui um alerta em relação à utilização do acostamento, partindo de Camobi até a cidade de Silveira Martins, como ‘lixeira’.  Às margens da Estrada Municipal Norberto José Kipper (Santa Maria) e principalmente na beira da Estrada dos Imigrantes (Silveira Martins), esta última tão conhecida pelo ótimo cuidado, manutenção da grama baixa e plantação das famosas hortênsias, mas que atualmente dividem o espaço com garrafas, copos e latinhas, simplesmente pela falta de educação moral e ambiental de alguns motoristas que utilizam a via, o lixo é arremeçado pela janela dos carros sem nenhuma preocupação com a degradação do meio ambiente e também com uma das belezas naturais da Quarta Colônia de Imigração Italiana do Estado.



Um comentário:

  1. Ficar cansado andando de bicicleta é bom demais. É um casaço muito mais gratificante do que trabalhar no fim de semana...hehe.

    Pretendo comprar uma bike pra mim pois vou voltar a fazer essas coisas também.

    abraço.

    ResponderExcluir